sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Câmara de Lisboa sugere rede de transportes em sítio próprio


9/24/2010 - Carris Lisboa

Lisboa poderá ter, dentro de uns anos, uma rede de Transporte Colectivo em Sítio Próprio (TCSP), se for aprovada a sugestão que a autarquia fez ontem na proposta de Plano Director Municipal (PDM).
De acordo com a agência Lusa, em cima da mesa estarão sistemas de eléctrico rápido, metro de superfície e trólei, que poderão ligar Algés à Praça da Figueira, Falagueira a Santa Apolónia, Cais do Sodré ao Parque das Nações, Algés a Alcântara, a Alta da Lisboa a Entrecampos, a Estação do Oriente a Sete Rios (via Avenida do Brasil), a Portela à Alta de Lisboa, a Alta de Lisboa a Benfica ou o Oriente a Sete Rios (via Bela Vista).

De acordo com a proposta de PDM, a Câmara de Lisboa reconhece os “condicionalismos de intervenção e participação” nos processos de planeamento das redes e modelos de exploração dos operadores de transportes da cidade, mas sublinha também que isso não deve impedir a autarquia de apresentar propostas para modelos que, na sua opinião, melhorem a sua estratégia de mobilidade.


Alias, a rede de TCSP deverá ser desenvolvida “em articulação com a expansão da rede do Metropolitano de Lisboa”.

Outro dos objectivos deste projecto visa “proteger bons padrões de serviço a zonas da cidade não cobertas pela rede estruturante de primeiro nível [metro e REFER]” ou a zonas que apresentem, ou venham a apresentar, “potenciais de procura que justifiquem a existência de um serviço de transporte de elevada qualidade”.

A tecnologia de transportes associada a esta rede “deve ser escolhida em função da ponderação de critérios claros e objectivos”. A saber: procura estimada, restrições físicas dos corredores e características específicas de cada solução tecnológica.

“A escolha da solução que melhor se adequa em cada caso deve ser antecedida da realização de estudos de procura e de análise custo-benefício que tenham em conta o conjunto da rede”, explica a CML, ainda que reconheça também que é muito difícil que esta esteja concluída no período temporal em que o PDM irá vigorar.
De acordo com o Censos 2001, dois terços das viagens em automóvel terminadas em Lisboa por motivos pendulares (emprego ou estudo) são realizadas por não-residentes.

Recorde também nestas notícias o mais recente projecto de Câmara da Amadora, o MetroBus.



Nenhum comentário:

Postar um comentário